acrescimento

ou a sabedoria do caracol

Arquivo de Abril, 2014

Sinais

DeadMalls

Nunca fui muito boa a história. Mas uma ideia que me parece que fica sempre é que todos os impérios têm o seu fim. E as imagens com que me deparei num artigo do facebook (que nos leva aqui) são sinais mais que evidentes de uma queda anunciada.

Fireatwillrva_1

Tento que este blogue seja construtivo e assertivo, e de preferência positivo: as imagens que vi dos centros comerciais abandonados até podem chocar os menos preparados (até porque, pelo mapa do início, são bastantes), mas de vez em quando também é preciso mostrar o que é negativo… Fica como alerta para o que aí vem ou, pelo menos, como matéria de reflexão.

DetroiTurbex_1

Anúncios

Prioridades na tecnologia

Keyboard

Espero ter conseguido transmitir neste meu blogue, ao longo do tempo, que a ideia de decrescimento (acrescimento, como gosto de lhe chamar) não é um parar no tempo ou um voltar atrás negando tudo o que advém da dita “sociedade moderna”. Acredito que teremos um mundo melhor se, ao conceito de não-crescimento, juntarmos o de aproveitamento das coisas boas que o Homem vai descobrindo e inventando.

Mas uma parte da comunidade que se dedica a criar a tecnologia de hoje em dia tem objetivos que não passam por criar um mundo melhor. Esta é a ideia de um artigo que li aqui e cuja introdução diz (quase) tudo:

« Cole Peters, um designer canadiano, emitiu um documento chamado “First Things First Manifesto 2014”  de modo a ajudar a focalizar a comunidade tecnológica num trabalho com significado. No manifesto, Peters desafia designers, empreendedores, tecnólogos e outros agentes de comunicação para reorientar as prioridades “em favor de formas mais duradouras e democráticas de comunicação.”

Os signatários do Manifesto concordam com uma mudança de mentalidades relativamente aos modelos do lucro e das corporações em detrimento das pessoas, de modo a trabalhar para “a exploração e produção de um trabalho mais humilde, significativo, e com impacto cultural benéfico.” »

Vamos lá a investir em meios tecnológicos que contribuam para um futuro mais risonho 🙂

 

(Imagem de topo retirada do artigo “Manifesto Urges Techies to Prioritize Meaningful Work”, mencionado no texto)