acrescimento

ou a sabedoria do caracol

Arquivo de Fevereiro, 2015

…o que aconteceu com os plásticos…?

“Sabes o que aconteceu com os plásticos ultimamente?”, perguntou-me a minha irmã hoje.

Depois da sua visita mais ou menos semanal a umas lojas do costume (padaria, talho, pastelaria, um hipermercado e até ao mercado local), ela achou estranho que não teve de dizer a lenga-lenga do costume “Não, obrigada, não vou querer sacos de plástico.” E tudo isto em Monção.

Fiquei mais animada. Após ter lido algumas críticas, que alegavam que as “taxas verdes” criadas pelo governo só iriam beneficiar as grandes superfícies (porque as pessoas passariam a pagar os sacos de plástico), ou que “faltaram campanhas a explicar os motivos ambientais da nova taxa dos sacos de plástico «leves»”, fiquei esperançada que, mesmo que essas críticas tenham fundamento, se caminhe para uma maior consciencialização das populações.

Podem dizer que o governo só quer encaixar mais dinheiro, que os grandes é que vão ficar a ganhar ou que o pessoal não vai perceber porque é que não devem usar tantos sacos de plástico, mas se ajudar a diminuir este mal, já valeu a pena 🙂

Vá lá, toca a andar com um saquinho de pano na mala ou no bolso, uns quantos sacos maiores ou cestas no carro ou transportar pequenas compras na mochila de todos os dias. Agora, para além de ajudar o meio ambiente, poupam a carteira…

E, para ajudar a malta a perceber o drama que são os plásticos hoje em dia, deixo aqui um vídeo do oceancare:

<p><a href=”https://vimeo.com/102206306″>Plastic debris in the oceans</a> from <a href=”https://vimeo.com/oceancare”>OceanCare</a&gt; on <a href=”https://vimeo.com”>Vimeo</a&gt;.</p>

A família da Abelha Maia

Há um tempo contactei com a campanha “SOS Polinizadores”, por acaso, através do Facebook, mas ficou “na prateleira”.

Hoje deparei-me novamente com ela e deixo aqui uma sugestão de leitura que nos traz algumas ideias de como cada um de nós pode contribuir com mais uma gota para um oceano que urge salvar da seca eminente…

(A ideia da construção de um hotel para polinizadores pode parecer estranha, mas até achei gira e pode ser praticada por qualquer um de nós, até com a ajuda dos mais pequeninos. Vejam aqui como.)

No mesmo site há um artigo mais completo para quem quiser perceber um pouco mais do problema com que nos deparamos atualmente. Ver aqui.

Quercus_SOSPolinizadores

Mais prós que contras

Deixo aqui um excerto do programa “Prós e Contras” da RTP que vi hoje e que achei particularmente assertivo (não pude deixar de reparar nas posturas corporais de alguns dos presentes na assistência e na mesa).

E deixo também as palavras do Luís Alves, que foi quem o colocou no YouTube:

“Alfredo Cunhal Sendim, da Herdade do Freixo do Meio, um fantástico projecto de Agricultura Biológica Portuguesa, faz uma das melhores intervenções do programa, demonstrando que a corrente comercial vigente para os produtos agrícolas pode ser diferente da que se instalou no país. Agricultores resilientes e organizados é mesmo o que falta neste canto da Europa…”

…que desperdício…

DesperdicioVegetal

E como é que cada um de nós pode contribuir para que estes números não sejam tão vergonhosos?

  • Comprar menores quantidades em maior frequência (menos olhos e mais barriga);
  • Escolher as variedades que gosta mais, não pelo aspeto mas pelo sabor e pela frescura (a fruta feia às vezes é a melhor);
  • Evitar a grande distribuição, onde há maior desperdício (que tal espreitar os mercados biológicos?);
  • Aproveitar as sobras para sobremesas, doces, bolos, gelados e outros petiscos (ver algumas receitas aqui e aqui)…

Outras tantas ideias podem passar-lhe pela cabeça: ponha-as cá para fora, pratique-as e passe-as aos amigos 🙂

Do outro lado do Atlântico

“To heal the food system is the only way we’re going to heal our economy, our bodies and the land.”

ManInTheMaze

 

Com um título que pode ser traduzido como “O Homem no Labirinto” ou “O Homem na Incerteza”, este é um mini-filme que retrata a consciencialização da imperativa necessidade da diversidade e da re-localização, vinda do outro lado do Atlântico: soluções para sarar o atual sistema de produção e distribuição de alimentos em determinadas zonas dos EUA aparecem em várias frentes.

Gary Paul Nabhan é um “ativista da alimentação”, escritor e membro da direção da organização “Slow Money“.