acrescimento

ou a sabedoria do caracol

Arquivo de Novembro, 2016

Rendimento básico – uma utopia?

“Fazer com que haja pelo menos algum rendimento incondicional, em valor suficiente para satisfazer as necessidades básicas, é uma mudança de proporções épicas. O rendimento básico é muito mais do que apenas um instrumento para aumentar a liberdade e reduzir tanto a pobreza como a desigualdade. É muito mais do que apenas uma ideia de diminuir o número de governantes ou de aumentar o empreendedorismo, ou de permitir que apareçam novos Einsteins, ou valorizar o trabalho não remunerado, ou melhorar os resultados na área da saúde, ou de reduzir as taxas de criminalidade ou de transformar o desemprego tecnológico de um medo para um objetivo. É tudo isso, mas também é mais. Há algo mais fundamental sobre o rendimento básico.

(…)

Se não tem nada parecido com um rendimento básico [seja uma pensão, uma renda proveniente de uma herança ou de uma lotaria ou um subsídio], considere por um momento como a sua vida iria mudar se tivesse um. O que faria se tivesse um rendimento básico? Que novas escolhas faria? Pense nisso. É uma pergunta que todos nós precisamos começar a fazer uns aos outros.” *

Para refletir…

*(Tradução livre de um excerto de What if you got $1,000 a month, just for being alive? I decided to find out., de Scott Santens)